Sem tempo a perder: serviços online para usufruir sem sair de casa

Arriscamo-nos a antecipar uma das expressões mais utilizadas do ano: “novo normal”. É a forma mais simples, mas não simplista, de definir o modo como, no espaço de uns meses, o mundo mudou e a população se adaptou a ele.

Há poucos aspetos positivos numa pandemia, mas ao analisar os longos meses de confinamento e o regresso ao quotidiano pós-covid-19, um deles é a forma como os serviços se adaptaram rápida e eficazmente ao online. A Internet já fazia parte do dia a dia da maioria das pessoas mas ganhou nova relevância, com tudo (mesmo!) disponível à distância de um clique.

As vantagens de usares os canais digitais não se cingem à segurança no que ao vírus diz respeito: é também uma forma de agilizares o teu dia a dia e de não teres de despender tempo em deslocações, marcações e filas.

Saúde

É o setor em que ganhámos mais consciência da importância, das fragilidades, das limitações e das alternativas. Um vírus sem cura, sem vacina e com uma capacidade de propagação que suspendeu todo o mundo faz repensar cada consulta adiada mas, em paralelo, ponderar também a necessidade de deslocações para os serviços de saúde. Os consultórios, centros de saúde e hospitais são provavelmente os sítios onde o risco é menos elevado, mas vale a pena ponderar alternativas para evitar deslocações desnecessárias e aumentar a afluência em espaços onde outras pessoas podem precisar de recorrer.

As consultas online são uma alternativa eficaz quando não é necessário o contacto físico entre médico e paciente ou para acompanhamento regular. Vários seguros de saúde e hospitais particulares tinham já esta opção implementada, que põe um médico em contacto à distância em videochamada. Desta forma é possível evitar deslocações e torna-se mais fácil encaixar no horário algo essencial que, muitas vezes, é adiado por “falta de tempo”. Contudo, é importante salientar que nos casos de alguma doença aguda ou acidente, é relevante ser-se examinado. A linha de Saúde24 (808 24 24 24)  pode servir de apoio para perceber se deve ou não dirigir-se a um serviço de saúde.

No campo da saúde mental, as consultas online foram (e ainda são) uma forma de manter a normalidade e o acompanhamento necessário de todos os que já eram seguidos por especialistas, mas também um importante apoio para muitos que, em confinamento e lidando com uma exponenciada ansiedade, angústia, solidão ou depressão, conseguiram recorrer a profissionais que os puderam ajudar em tempo útil. O hábito de frequentar um especialista em saúde mental não se deve perder e pode continuar a ser feito online, muitas vezes com preços mais competitivos e com todo o profissionalismo.

Ainda no campo da saúde, as farmácias apostam agora em sites mais intuitivos e em entregas ao domicílio. Medicamentos não sujeitos a receita médica, artigos de puericultura ou produtos de beleza e bem-estar chegam agora sem teres de sair de casa.

Bem-estar

Exercícios para as pernas, exercícios para os braços, exercícios para quem nunca fez exercício. Os vídeos de workout foram uma constante durante a pandemia, com muitos influencers a partilhar como contornavam a ausência de um ginásio. Quando encerraram, as cadeias de ginásios sentiram o ímpeto de ajudar os seus clientes e lançaram, também, vídeos com aulas de profissionais para que, virtualmente, pudessem continuar a praticar exercício.

Os ginásios já reabriram (respeitando todas as normas de higiene e segurança), mas nem todos se sentem à vontade para regressar a um espaço partilhado onde não se usa máscara.

Felizmente, os exercícios não passam de moda, e podes continuar a fazer as tuas aulas online, no conforto da tua casa! Podes mesmo intercalar treinos em ginásio com treinos em casa, voltando de forma progressiva, à medida das tuas necessidades e do quão seguro te sentes no espaço.

Serviços de beleza, como cabeleireiro, manicure ou esteticista, não podem obviamente ser feitos à distância de um ecrã, mas há imensos profissionais que tornaram o negócio mais digital com marcações ou apps. Há também uma maior abertura para estes serviços serem feitos ao domicílio, o que minimiza os contactos entre pessoas

Serviços Online

Não é propriamente uma novidade: os restaurantes aos quais podíamos recorrer através de apps já faziam parte do quotidiano há muito tempo, mas o encerramento dos restaurantes fez com que muitos, que ainda não tinham cedido ao online, apostassem em serviços de entregas ao domicílio ou takeaway, ainda que muitas vezes não associados a nenhuma plataforma.

Pequenos comerciantes, como padarias, pastelarias ou mercearias, também passaram a disponibilizar os serviços ao domicílio, facilitando o confinamento. Hoje já é possível voltar a todos estes sítios, mas é mais cómodo se pedires e receberes as compras em casa. Os híperes e os supermercados também tornaram mais intuitivos e mais fáceis as condições de entregas ao domicílio, com sites mais completos.

Burocracias

São serviços aos quais não temos de recorrer todos os dias, mas que, quando temos, consomem algum tempo. Repartições de finanças, serviços de notariado, contabilidade… A memória leva-nos para filas intermináveis e horas de espera, mas felizmente, há a tentativa progressiva de resolver essas questões online. Serviços como mudança de morada ou pedido de renovação do cartão de cidadão podem agora ser feitos por Internet ou por telefone.

Outros problemas que possam surgir com serviços que usamos todos os dias, como a eletricidade ou a Internet, podem também, agora, ser mais facilmente resolvidos pelos canais digitais.

Nunca é demais alertar…

Há uma check list que deves confirmar mentalmente sempre que acederes a qualquer serviço.

  1. Confirma sempre a origem da ligação. Para uma ligação segura, o endereço deverá começar com https:// e, na barra de endereço, aparecerá um cadeado com a indicação de certificação do site.
  2. Usa palavras-passe diferentes. Parece impossível conseguires lembrar-te de todas, mas podes sempre apontar num sítio seguro, a que apenas tu tenhas acesso. Se, eventualmente, uma das contas for acedida por terceiros, é menos provável que as outras sejam.
  3. Se possível, utiliza a autenticação de dois fatores. Desta forma, se alguém tentar entrar na tua conta, recebes alertas no telemóvel e no email para confirmar se foste ou não tu.
  4. Privilegia meios de pagamento seguros. Pagar com o teu cartão de conta-corrente é simples, mas o risco de alguém conseguir roubar os dados e cloná-lo é maior do que imaginas. Para pagamentos de faturas, escolhe o débito direto, com confirmação do IBAN e autorização do banco. Se tens um cartão de crédito WiZink, podes recordar quais as proteções associadas que tens, basta clicar aqui. O WiZink é um banco digital, o que significa que poderás tratar da gestão do teu dinheiro sem sair de casa

Os canais digitais são uma ajuda preciosa e uma excelente forma de poupar tempo e dinheiro, mas é preciso redobrado cuidado quando usamos os serviços online para subscrições, alterações de contratos e pagamentos.